16 junho 2010

Histórias que a vida conta.

Dia dos namorados foi dia de sessão cinema corta pulso, em dose dupla. assistir P.S. Eu Ti Amo! e Doce Novembro pela enésima vez, boa razão para valer das lágrimas de emoção e não de raiva. testemunha de Jeová não comemora nem aniversário. e o tal dia ele passou com a mãe que em chantagem extrema disse que morreria se não comesse, naquele dia, o macarrão à alho e óleo que ele faz divinamente. me valho da máxima de que marido não é namorado para não ter uma síncope e abrir aqui uma enquete com a pergunta: motivo de separação por justa causa?

3 comentários:

Paula disse...

A justa causa é a paz de espírito. É reconhecer que, apesar de querer, nem sempre podemos. Se fazer o melhor não foi suficiente, paciência. O tempo vai levar mais essa com ele, e em breve, assim como a flor de maio, a vida floresce de novo.
Beijos!

Suzana Inglez (Suka) disse...

Oi Paula, adoro saber que me acompanha de perto sempre. Espero que tenha entendido o tom divertido que procurei passar. Eu, como você sabe, sou espírita. Pode imaginar? Não dá prá me apegar a datas comerciais, isso seria um eterno conflito. Mas que valeu um post, valeu! rs
Grande beijo!

Vanessa Dantas disse...

Sensacional, Suka!

Momento corta-pulso total! Adorei!

Beijo.