17 outubro 2008

Uma noite de horror

03/01/2007

O telefone toca, a ligação é a cobrar, às 2 horas da madrugada e uma voz do lado de lá chorando e gritando pede por socorro.
- Mãaaae! Me ajuda, mãe, eles me pegaram..e taparam meus olhos...me ajuda mãaaae, por favor me ajuda!
- Filho? Onde vc está? O que está acontecendo?
- Não sei mãe...eles me pegaram...não sei onde estou...me ajuda mãe! Eu to com medo, mãe!!!!Alô...alô!!!!!!
- Aê dona, fica calma...nós tamo com seu filho e vamo matá ele se a dona não colaborar...nós pegamo ele por engano, pensamo que era o filho do empresário...mas vamo tentá negociá alguma coisa aqui...já perguntei pra ele umas coisas e a dona vai confirmar...mas se fo diferente do que o menino disse nós mata ele, entendeu? Ele disse que mora em São Paulo, é isso mesmo? Se não for ele tá morto.
- Onde vocês pegaram meu filho?
- Na cidade onde ele tá...
- Mas onde?
- Olha aqui dona, a senhora não tá entendendo, a gente que tá com seu moleque, nós fazemo as pergunta...já disse que pegamo por engano mas queremo negociar alguma coisa aqui...Ele disse que a dona tem dinheiro no banco...
- Como ele disse isso? Ele sabe que eu não tenho...pelo amor de Deus, eu quero falar com meu filho de novo, põe meu filho na linha!
- Mãaae...mãaaae....Filho...fala direito, onde você está meu amor, fala comigo....
- Não consigo...to muito nervoso...mãaae...
- Chega dona, agora é com a gente aqui. Eu já perguntei tudo pra ele e se a dona confirmar errado ele morre, tá entendendo? Tá entendendo dona? Nós mata ele...ele morre agora! A dona faz o quê? é empresária também? faz o quê?
- Eu não tenho nem emprego, nem dinheiro...estou desempregada...pelo amor de Deus, solta meu filho....
- Fica calma dona, não precisa chorar não..que se não tiver dinheiro a gente não vai fazer nada com ele não, fica calma....E carro? Tem carro? Qual carro? Responde logo, senão ele morre!
- Nem carro eu tenho, por favor, solta meu filho....
- Onde é a casa de vocês? Quem mais mora aí? Tem mais filhos? Responde!!!! Qué que ele morre? Tá fácil aqui prá nós...não temo nada a perder...Não tenho carro, nem conta em banco, nem emprego...só tenho ele de filho, moramos só eu e ele...por favor! Solta meu filho!!!
- E o telefone dele?
- Não tem...
- O telefone de onde ele está?
- Também não tem telefone...
- Tudo bem dona, to vendo que tá falando a verdade...se tá dizendo que não tem dinheiro nós vamo soltar ele, fica calma, nós tamo soltando ele...

A ligação termina e só então, desesperada, consigo pensar em ligar pro celular do meu filho que realmente não estava em São Paulo, mas em outra cidade, viajando com a familia de amigos e, para minha tranquilidade, na segunda tentativa, ele atendeu ao telefone, sonolento por ser acordado no meio da madrugada, mas salvo! Era apenas um trote! Estava num período difícil da vida e acho que foi o que nos salvou de um mal maior.
Escrevi isso no dia seguinte ao trote, mas só agora consegui publicar. Mesmo sabendo que esse tipo de trote é comum, quando acontece com a gente é como se o cérebro ficasse paralizado e deixasse de funcionar.

3 comentários:

Vivian disse...

Su, que história horrível!! Aconteceu contigo esse trote? aff... esses banidos sao muito artistas mesmo, merecem um oscar pela atuação e cadeia por nos assustarem tanto

Janice disse...

Susana,
sei o desepero que você passou pois a 1 mês, fizeram isso com minha mãe de 70 anos, falando que pegaram minha irmã.
De tão nervosa que minha mãe ficou ela perdeu a memória parcialmente, naquela noite.
Pessoas que fazem isso, tinham que ser punidas seriamente.
Um beijo.

Sonhos de Crochê disse...

Já aconteceu comigo que, talvez por sorte não tenho filho homem e era um rapaz aos gritos me chamando de mãe. Primeiro fiquei apavorada, tenho um sobrinho, mas rapidamente lembrei dos trotes e respondí: Você ligou errado, não tenhos filho. Sabe o que responderam?
- Não tem não, senhora?
- Não! repetí.
Desligaram. Mas passei um tempão com taquicardia. Um horror!!!!
bjs
Rita